Com estas notícias de Angola e só falas de sapatinhos?


Pois. Eu sei. Não pensem que me/nos passam ao lado. Nada disso.

Estamos atentos. Receosos por vezes. Expectantes. E os nossos filhos fazem perguntas.
Temos falado muito em família e o Luís explicou-lhes tudo o melhor que sabia. Mas temos andado com o coração mais apertado. 
Apesar dos meus últimos posts não referirem o assunto, não me passa ao lado. Afinal, como poderia?

Os meus Manolo Blahnik...


A propósito do post de ontem, pediram-me para mostrar os meus Manolo Blahnik. Aqui estão eles e uma foto onde os tenho calçado (no casamento da minha afilhada, maio 2011.

E o segundo post...

Quase, quase a chegar aos quarenta, adivinhem o que ganhei?
Pois, pois...uns sapatinhos Manolo Blahnik num concurso promovido pela Meo e o canal Sony Entertainment.
Foi há uma semana que os fui buscar... de manhãzinha voei para Madrid ( bilhete pago eh eh ) e à minha espera duas representantes da Sony, prontinhas para me levar à loja Manolo Blahnik para eu escolher os meus sapatinhos.

Calle Serrano, toque na campainha ( que chique), e eis que uma senhora com quase o dobro da minha altura nos resolve abrir as portas.
E lá estava eu, tal Carrie do Sexo e a Cidade, com uma imensidão de sapatos para escolher.

Não foi fácil...mas depois lá me decidi por uns prateados ( mas não, não são pirosos...podiam lá ser?), com um ar vintage, para usar em ocasiões bem especiais.

E, de, sapatinhos no saco, olhando para toda a gente como se fossem potenciais assaltantes de sapatos, lá fui eu almoçar a um restaurante muito cool ( Loft 39). Adorei!

De barriguinha cheia (mas não muito) lá regressei à realidade... 
Dezoito horas e já em Lisboa onde me aguardava uma fila de trânsito que me fez demorar mais tempo do Aeroporto a Sete Rios do que de Madrid a Lisboa...

E que interessa o trânsito se uns Manolo me acompanham...

Lá voltei à realidade, mas com uma certeza, agora, os quarenta vão ser mais fáceis de enfrentar!!!


E agora,aqui fica a promessa: se alguém ler este post e pedir...eu mostro os meus MANOLO!

(29 janeiro 2010)

                                                                   Madrid, Dezembro 2009

O primeiro post...

Cinco anos de blogue. E o primeiro post foi assim:


Que o mundo não esqueça...

Auschwitz. Um dos locais mais impressionantes que visitei. Um murro no estômago que me deixou tão sem saber o que dizer ou fazer. Como foi possível?

Um local que quero muito que os meus filhos visitem. Mesmo que doa.





Mais aqui.

Às vezes tenho a mania #15

Antes de mais  convém esclarecer (sim, porque a blogosfera por vezes é cruel):
Não sou uma fashion blogger.
Não tenho formação em moda nem em consultadoria de imagem.
Sou apenas uma muher comum de 44 anos ( ui, já?) que acha que às vezes tem a mania...


Na minha escola, já muitas se tinham rendido às penas, mas eu tinha/tenho muito medo de  parecer um bonequinho Michelin e andei a adiar a compra. No entanto, a semana passada o frio que senti, tirou-me as reservas e eis que, pela primeira vez na vida, tenho um blusão de penas (é leve, confortável e sim, quentinho). 


Blusão Benetton- 34.50 Euros ( comprado nos  saldos com 50% desconto)

As fotos são tiradas pelo filho e com a assistente Izzie sempre por perto.






Sereias...

Sereias...



Há dias (mais do que muitos) em  que me sinto mais marmota e baleia fofinha do que propriamente sereia, mas devo a mim afundar essas imagens. Afinal, todas nós nos podemos sentir sereias ( mesmo só um bocadinho...vá lá).

Mesmo não tendo vestido com corte sereia.
Mesmo não tendo ocasião para usar vestidos com corte sereia.
Mesmo não tendo os corpos que julgámos que deveríamos ter para vestir os vestidos com corte sereia.

Por vezes, basta uma cor, um brilho extra no rosto. O Boticário, que tão bem nos conhece, sabe disso e daí a linha Sereias Urbanas. Para já, experimentei  usar o blush (Bronze da Sereia) que está neste momento a 5.99 Euros nas lojas Boticário, e gostei bastante. Não posso é abusar, porque é um blush que marca mesmo.

E, depois da cor no rosto, levantar a cabeça, postura com costas bem direitas e, sem cauda para dificultar o andar, enfrentar a semana!
Adeus, marmota. Olá, sereia!




Valentino white dress
€7.135 - luisaviaroma.com


Marchesa lace dress
€5.315 - shopbop.com


Adrianna Papell mermaid dress
€295 - macys.com


XSCAPE white dress
€195 - macys.com





Uma família com esperança #18

Dias de sol ajudam. Saber que o Luís está na praia, mais relaxado, faz-me bem. Eu estou bem se ele estiver bem.

E, a ideia foi dele, tirámos uma selfie que ilustra bem o que a nossa família vive hoje. Separados fisicamente, mas com amor ( e ecrãs) a unir-nos.


Factos # 2


As relações dão trabalho. Querer estar junto e não desistir à primeira contrariedade é fundamental. Estamos juntos há quase vinte e cinco anos (namoro e casamento) e não foi (é) sempre perfeito. Há é momentos perfeitos...que nós fazemos por existirem, que relembramos mil vezes, e que simplesmente acontecem.Como este da foto.

Os outros momentos,os que nos entristeceram,  fazemos por esquecer e apagar da nossa história. 
E, assim, avançamos...

São meus...

ankle boots


Bruno Premi buckle ankle boots
€125 - yoox.com


Bruno Premi short leather boots
€125 - zalando.co.uk


Bruno Premi black high heel booties
€85 - zalando.co.uk


Bruno Premi short leather boots
€120 - zalando.co.uk





Na tentativa de encontrar os botins, encontrei-os numa sapataria da minha cidade. No que se refere a sapatos, por vezes não é fácil conjugar qualidade e preço, daí que quando quero algo mais especial, opto sempre pelos saldos. E calçar o nº 35, nesse caso ajuda. Os botins  eleitos foram os de salto médio com o pormenor do fecho: são muito confortáveis e versáteis e uso-os tanto com saias como com calças...

Para quem for da zona de Leiria, comprei-os na sapataria Happy Shoes do Centro Comercial Maringá. E bem mais baratas do que estão à venda online.

Green Boots








Não são propriamente baratas, mas acredito que durem uma vida. Podemos  personaliza-las mudando atacadores, a sola, colocando ou não franjas. são feitas em Alcobaça (tão pertinho de mim) e eu adoro-as. E há para o menino e para a  menina...aqui.

Uma família com esperança #17


Para as famílias que estão separadas o domingo é o dia mais difícil. Ou pelo menos para nós é. Os dias de semana passam depressa com o trabalho e a rotina diária. O sábado por aqui também é uma correria com as atividades dos miúdos. O domingo é outro assunto...

Hoje, o dia estava cinzento e o dia foi passado a organizar a semana que aí vem, com a companhia da lareira, os pinhões do Santo Amaro (festa cá da freguesia onde ainda se encontram à venda os tradicionais colares de pinhões), a cheirar o cachecol do Luís ( e a amostra do perfume dele que eu guardo) e a Skypar muito. Os primeiros fins de semana separados depois de  dias intensos são os mais difíceis.  Depois, conforme  as  (minhas) neuras, vai-se fazendo a contagem decrescente e o tempo vai passando.

Um domingo já (quase) passou. E não foi muito mau.

Uma boa semana para vocês!

Maiores de 60...

Desde novinha que gosto de ouvir as conversas dos mais velhos. E, aqui na aldeia, nem imaginam as histórias deliciosas que por vezes oiço. Hoje, juntei à coleção mais uma.

Dizia então um senhor bem posto, com chapéu de xadrez miudinho, a um outro amigo que encontrou à entrada do supermercado:

- Dê os meus cumprimentos à  sua esposa.

Responde o outro rapidamente:

- Olhe, eu dava-lhe era outra coisa, ela é que não me deixa!

E, sempre que me lembro, não consigo deixar de me rir...

Factos #1

Não gosto de dias chuvosos e triste, mas gosto de almoços simples, cheios de conversas simples,e que nos deixam o coração mais quentinho.

Cura-neuras

Quando estou com as minhas neuras, apetece-me sempre meter-me na caminha e fingir que não existo. Contudo, sei muito bem que esse não é o caminho... 
Hoje, tinha algum tempo livre e forcei-me a sair. Fui passear na minha cidade, vi montras e até fiz duas compras na Zara: quatro pulseiras para alegrar o pulso a 5,99 Euros e um cinto preto básico que assenta muito bem (tem um pedacinho de elástico atrás que ajuda) a 7,99 Euros.
Se as compras me fazem sentir melhor não sei, mas sei que por vezes ficar em casa não ajuda nada. Sair um bocadinho, quanto a mim, é um bom cura-neuras...

Uma família com esperança #15



Prometo não transformar este espaço num dog blog, mas é que esta foto mostra bem o que se passa cá por casa...
Mais uma despedida de até já, mais uma etapa, mais uma contagem de dias... Tentamos enfrentar as despedidas da melhor maneira que sabemos, sabendo que não é fácil, mas sabendo também que há muitas famílias em piores condições do que as nossas (muitas empresas só oferecem uma ou duas viagens por ano) e assim, mesmo com o coração dorido, damos abraços bem apertados, damo-nos força e esperança.

Mas custa. Custa muito e a frase "a gente habitua-se" não entra aqui.

Izzie, sua feia!

Parecia que tinha nevado cá em casa...
Detetive Miguel pôs-se a caminho...

E a culpada foi encontrada!



E tentar não rir enquanto se olha para esta carinha (focinho, a moça portou-se mal!).

Canção de quem cá fica...



Há novos projetos musicais que vale a pena conhecer. A região de Leiria, já se sabe, tem dado a conhecer bandas bem interessantes (The Gift, Silence Four, First Breath After Coma, Nice Weather for Ducks...), e a Catraia é uma dessas bandas com identidade própria que dá gosto ouvir.


Assumo que sou suspeita. Sou fã da Inês (voz) que foi minha aluna e que, na minha cabeça, será para sempre a menina  que encantava todos com a sua voz e postura, mas acho que a Catraia tem mesmo uma sonoridade deliciosa e que vale a pena conhecer...

Para além disso, para quem estiver fora do país e quiser participar no vídeo, pode saber como o fazer aqui.


O que é bom nem sempre engorda # 1


Raramente me esqueço do creme nas mãos e neste momento ando viciada neste creme... do sítio do costume, claro!